Histórias Assustadoras Para Contar no Escuro | Crítica

Histórias Assustadoras Woo Who Crítica

Histórias Assustadoras Para Contar no Escuro, um dos filmes de terror mais esperados para 2019, da Diamond Films, finalmente chegou. Dirigido por André Øvredal (A Autópsia), é o segundo filme de terror do diretor norueguês, que já começa mostrando seu talento para o gênero. Porém, o mais esperado foi a participação de Guillermo del Toro (O Labirinto do Fauno) como produtor. O filme foi baseado no livro homônimo de Alvin Schwartz, que compilou histórias do folclore americano e lendas urbanas de terror.

O longa não possui uma lista grande de celebridades já que o elenco é quase inteiro composto por jovens atores. No entanto, as atuações conseguem se sustentar sem problemas. O protagonismo de Zoe Colletti (Vida Selvagem), porém, vale destaque. A atriz, que interpreta Stella, provou que consegue conduzir uma trama, embora de forma jovial.

Com muitos personagens e histórias particulares, o filme não consegue demonstrar tão bem a evolução de cada um. Com a rapidez da história, o telespectador não tem muito tempo para se apegar ou compreender o trauma de cada personagem. Porém, o filme se sustenta nessa rapidez para manter a ideia de que o tempo está passando rápido e que a hora de cada um se aproxima.

Um dos pontos que pode causar certo incômodo é o uso das coincidências. Talvez por querer apressar a narrativa, os personagens não precisam se esforçar muito para saber “instintivamente” a resposta certa para todos os mistérios que surgem. Desta forma, a dificuldade da situação perde um pouco da força e da credibilidade.

O filme mistura um suspense constante com sustos óbvios. No entanto, esses recursos combinam com a proposta da produção. Seguindo adolescentes que acabaram se colocando em perigo em uma noite de Halloween, Histórias Assustadoras Para Contar no Escuro traz um terror jovem, mas que em nenhum momento deixa o espectador esquecer que a trama trata de crianças em uma aventura, embora essa aventura possa acabar em morte.

E se passando em 1968, o filme lembra Os Goonies (Richard Donner), que também acompanha um grupo de crianças e adolescentes se aventurando. No entanto, o clima de suspense e terror, além do fato das crianças terem que enfrentar seus medos, lembra muito o clássico It – Uma Obra-Prima do Medo (Tommy Lee Wallace), que também se passa nos anos 60. Assim, Histórias Assustadoras Para Contar no Escuro parece uma mistura entre os estilos dos dois filmes.

A fotografia do longa é incrível, desde a ambientação dos anos 60 até os efeitos especiais com os monstros. Como já visto em outros filmes de Guillermo Del Toro, os monstros sempre foram muito bem feitos; muito realistas, mas sem perder no bizarrismo. O filme inteiro lembra muito um filme lançados nos anos 80 e 90, mas com a tecnologia atual.

Assustador e nostálgico, Histórias Assustadoras Para Contar no Escuro estréia no cinema nessa quinta-feira (8) e entregará ao público muito suspense e aventura.

Confira o trailer oficial do longa:

Para mais informações sobre Histórias Assustadoras Para Contar no Escuro, curtam e sigam nossas Redes Sociais.