Venom | Crítica

Venom Crítica Woo Who

O filme chega aos cinemas trazendo uma grande decepção para aqueles que costumam ter um certo tipo de alegria ao assistir um novo filme baseado em um personagem da Marvel Comics. Isso pode ser porque o filme parece ser feito às pressas, não possui um bom roteiro, poucas coisas fazem sentido na trama e a direção complicou ainda mais o filme que nem se quer faz parte do universo cinematográfico da Marvel, e na verdade o produto é fruto de um contrato complicado entre a Marvel e a Sony.

Tom Hardy é o protagonista e interpreta o Eddie Brock, repórter de televisão de São Francisco. Michelle Williams é a sua noiva, Anne Weying. Ambos trabalham indiretamente para o notório fundador da Life Foundation, o gênio Carlton Drake (Riz Ahmed). Brock sempre suspeitou de Drake se envolver em práticas comerciais questionáveis, mas uma fonte interna da empresa ‘Fundação Vida’ (Life Foundation) o levou a uma descoberta horripilante: a mais recente missão espacial de Drake importou vários “simbiontes” alienígenas, parasitas que mudam de forma e que podem dar a seus humanos um tremendo poder.

Após o contato do Eddie Brock com o simbionte ele se apossa do seu corpo e a partir daí vemos o ator com uma personalidade dividida, e suas cenas são sempre carregadas de diálogos catastróficos e algumas cenas maravilhosamente horríveis. Venom é um filme ruim, mal planejado, chocante com apenas alguns momentos visualmente interessantes para tirá-lo do doloroso tédio que se arrasta ao longo da produção. O diretor Ruben Fleischer poderia ter brilhado uma ou duas vezes durante o filme, mas no fim das contas, quase tudo é uma falha de cair o queixo, a ponto de deixar grande parte da sua audiência irritada. Vá ao cinema, assista e tire as suas próprias conclusões.

Confira abaixo o trailer oficial do longa:

Para mais informações sobre Venom, curtam e sigam nossas Redes Sociais.