Crimes em Happytime | Crítica

Crimes em Happytime Crítica Woo Who

Em uma realidade fictícia onde bonecos fazem parte da sociedade junto aos humanos, a policial Connie Edwards (Melissa McCarthy) e seu ex-parceiro boneco, o detetive particular Phil Phillips, voltam a trabalhar juntos para solucionar o assassinato dos personagens da famosa série de TV infantil, ‘The Happytime Gang’.

Mas o infantil da história para no tema da série de TV, pois o longa tem como foco o público adulto e conta com piadas obscenas, bizarrices e loucas cenas de sexo envolvendo os bonecos (Puppets), que se assemelham ao que foi mostrado na animação Festa da Salsicha.

Na história, a sociedade dos Puppets, por ser diferente, é vítima de discriminação e preconceito por parte dos humanos (fazendo uma alusão ao que acontece com algumas raças e minorias na vida real), algo que será parte presente no decorrer da história. Mas o roteiro, assinado por Todd Berger, foca principalmente em chocar e divertir pelo absurdo, o que gera cenas ao mesmo tempo pesadas e hilárias. O diretor Brian Henson (“Os Muppets na Ilha do Tesouro” e “O Conto de Natal dos Muppets”) – filho do criador dos Muppets Jim Henson, consegue transmitir em imagens tudo que o roteiro pede e junto com a equipe que manipula os bonecos, que desempenha um trabalho exemplar, faz o público acreditar que os personagens estão realmente vivos.

No mais, Crimes em de Happytime, que também conta em seu elenco com Elizabeth Banks, Maya Rudolph, Joel McHale e Leslie David Bake, é um filme que surpreende e diverte pelo absurdo e irá agradar ao público que gosta desse tipo especifico de humor exagerado e nonsense.

Crimes em Happytime é distribuído no Brasil pela Diamond Films e estreia dia 27 de setembro de 2018.

Confira abaixo o trailer oficial do longa:

Para mais informações sobre Crimes em Happytime, curtam e sigam nossas Redes Sociais.